PROCEDIMENTOS COM GESSO ORTOPÉDICO É ATO MÉDICO

INFORMA

 

É CONSTANTE A UTILIZAÇÃO DE PROFISSIONAIS
DE ENFERMAGEM, TÉCNICOS DE RX E ATÉ MESMO LEIGOS EM AÇÕES COM GESSO
ORTOPÉDICO POR HOSPITAIS E CLÍNICAS ORTOPÉDICAS DO PARANÁ E DO BRASIL.

 

AÇÕES COM GESSO ORTOPÉDICO (confecção, colocação e
retirada de aparelho de gesso e calha gessada
) ESTÃOPROÍBIDAS ENTRE TODOS OS PROFISSIONAIS DE
ENFERMAGEM SEM CAPACITAÇÃO OU HABILITAÇÃO CONFORME RESOLUÇÃO 811/91 REEDITADA
PELA 279/2003 DO CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. 

TAIS PROFISSIONAIS ATUAM A OLHOS VISTOS
SEM NENHUM CRITÉRIO OU PREPARO, EM DESRESPEITO AO SEU
CÓDIGO DE ÉTICA, COLOCANDO EM TOTAL DESCRÉDITO O ÓRGÃO (COREN/COFEN) A QUE SÃO
SUBORDINADOS. ALÉM DO QUE AÇÕES COM GESSO, EXECUTADAS POR PESSOAS SEM
CAPACITAÇÃO OU HABILITAÇÃO (QUALQUER UM) COLOCAM EM RISCO A VIDA E A
INTEGRIDADE FÍSICA DOS PACIENTES QUE DEPENDEM DE ASSISTÊNCIA EM
TRAUMATO-ORTOPEDIA.

 

PROCEDIMENTOS COM GESSO ORTOPÉDICO É ATO
MÉDICO QUE PODE SER EXECUTADO POR PROFISSIONAL
DA ÁREA DE SAÚDE “TÉCNICO EM IMOBILIZAÇÕES
ORTOPÉDICAS DEVIDAMENTE CAPACITADO E HABILITADO”,
 OS QUAIS EXECUTAM SUAS TAREFAS SEMPRE
SOB INDICAÇÃO, SUPERVISÃO E RESPONSABILIDADE DO MÉDICO (ORTOPEDISTA)
ASSISTENTE.

USUÁRIO DO SERVIÇO DE SAÚDE
(TRAUMATO-ORTOPEDIA), VERIFIQUE SE O PROFISSIONAL A REALIZAR TAL PROCEDIMENTO
ESTÁ CAPACITADO/QUALIFICADO.

DENUNCIE AO: COREN – CRM ou MP de sua
cidade.

 

Uma simples tala gessada mal confeccionada pode
ocasionar em amputação de parte do segmento imobilizado e causar até mesmo a
morte do paciente se o problema não for detectado a tempo
”.

 

A confecção de aparelhos gessados relaciona-se com o
capricho em sua elaboração.

Todo e qualquer aparelho gessado é como um trabalho
artesanal e pessoal de quem o executa, é como se fosse o “cartão de visitas” do
ortopedista, demonstrando ao leigo, que se bem elaborado por profissional
qualificado e habilitado, com certeza o segmento estará sendo bem tratado.

"ASPATIO" PELA REGULAMENTAÇÃO PROFISSIONAL DO
"TÉCNICO EM IMOBILIZAÇÕES ORTOPÉDICAS CBO 3226-05 – P. LEI
1681/1999".

IMPRUDÊNCIA.

A
“ASPATIO” esporadicamente realiza cursos direcionados a profissionais da área
de saúde (enfermagem, médicos, residentes, téc. imob. ortopédica e/ou téc. rx) sempre que solicitada para este fim e porque?

Diante
das imagens e fatos “recentes” não é difícil de entender-mos porque nos
preocupamos com a qualificação destes profissionais (enfermagem, etc..).

Muitos
profissionais da área de saúde acham que imobilizar é simplesmente “enrolar”
gesso ou atadura no segmento lesado, não,
as imagens ( 
clic na pasta PÚBLICA do blog para
visualizar
) mostram por si só
as lesões (graves) causadas por compressão da atadura de crepon durante
a instalação de uma tração cutânea indicada para fratura de fêmur, quando houve
necrose tecidual na porção anterior do pé e calcâneo, sendo este mais profundo
e que haverá a nescecidade de desbridamento, o que pode levar em torno de três
a quatro meses para fechar se bem cuidado: Compressão por tala gessada na
região meleolar e tendão aquiles: Garroteamento axilar após a confecção de um
oito gessado indicado para fratura de clavícula, pasmem, houve falta de
acolchoamento, má distribuição das camadas do gesso, compressão escessiva em
pontos importantes que podem causar lesões importantes num espaço de 4 a 6 horas: Imobilizações inadequadas e contra indicadas. O que fazer?
"CAPACITAR/QUALIFICAR".

About these ads
Esse post foi publicado em Saúde e bem-estar. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s